• Blog do HRAC Centrinho-USP

    Este é o Blog oficial do Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais (HRAC/Centrinho) da Universidade de São Paulo (USP), mantido pela Assessoria de Imprensa da instituição.
  • Na mídia‬:

  • TV TEM: Reportagem especial mostra principais pontos de Bauru

    HRAC/Centrinho-USP é destaque em matéria especial dos 120 anos de Bauru. Principais pontos da cidade foram escolhidos pelos telespectadores.

  • HRAC/Centrinho na série ‘Joias do Interior’, da TV TEM

    Neste novo vídeo, quem conta sua história e fala sobre o tratamento é a jovem Gabriela Viana e sua mãe, Claudinéia, de Bauru. Clique na imagem e confira!

  • Dia a dia do Hospital (Jogo de Cintura, TV TEM, 04/10/14)

    O dia a dia do Centrinho-USP. Histórias de gente que é exemplo de superação, dedicação e alegria!

  • Primeiros sons (Fantástico, TV Globo, 07/09/14)

    Crianças escutam pela 1ª vez e têm reações emocionantes

  • Sistema FM (TEM Notícias, TV TEM)

    Teste

    Centrinho usa sistema FM para facilitar aprendizado de crianças com problemas auditivos. Reportagem: Evandro Cini

  • Implante Coclear (Encontro com Fátima Bernardes, TV Globo, 11/11/14)

    Encontro com Fátima Bernardes mostra tecnologias que auxiliam a vida de pessoas com deficiência, como a do pequeno Enzo, usuário de implante coclear

  • Fissura labiopalatina (Bem Estar, TV Globo, 24/06/13)

    Programa Bem Estar, da TV Globo, exibe matéria sobre tratamento da fissura labiopalatina. Reportagem: Giuliano Tamura

  • Fissura labiopalatina (Hoje em Dia, Rede Record)

    Quadro "Você e o doutor", do Programa Hoje em Dia, da Rede Record, destaca cuidados com bebês com fissura labiopalatina

  • Fissura labiopalatina (Hoje em Dia, Rede Record, 16/11/11)

    Record faz reportagem especial sobre fissura labiopalatina. Confira!

  • Centrinho tatuado (Jornal da Cidade, Bauru, 13/04/12)

    A história de Gabriela Oliveira da Silva, 22 anos, gaúcha, moradora de Pelotas, não é só de recuperação de saúde, vida social e gratidão, mas também de homenagem ao tratamento que recebeu nos últimos 20 anos no Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais da USP (HRAC/USP) de Bauru, conhecido como Centrinho.

  • Estadão

    Hospitais paulistas que atendem pacientes de todo o país foram destaque em reportagem do jornal O Estado de S. Paulo. Clique na imagem acima e confira a matéria na íntegra, que também aborda o trabalho do Centrinho-USP.

  • Imprensa destaca 20 anos do implante coclear no Brasil

    Dia 14/5/2010, reportagem foi destaque no programa Direto da Redação, veiculado nacionalmente pela Record News

  • “Nosso Mural” informativo de comunicação interna

    Essa é uma publicação semanal do Centrinho-USP, parte das estratégias de comunicação interna do Hospital.
  • A instituição

    Hospital localizado em Bauru (SP), Brasil, que oferece tratamento integral nas áreas de anomalias craniofaciais, síndromes associadas e deficiências auditivas via Sistema Único de Saúde (SUS).

  • Instituições parceiras

Manual traz orientações básicas sobre cuidados com bebês com Sequência de Pierre Robin

capa_manual_robin

Clique aqui e acesse o manual

Um grupo de clínicos e pesquisadores do Centrinho-USP vem desenvolvendo há mais de dez anos estudos sobre a Sequência de Pierre Robin, resultando na inovação do tratamento desta anomalia em níveis nacional e internacional. A equipe também se preocupa em elaborar materiais que possam informar pais e profissionais sobre Robin. Entre os trabalhos, está o manual “Sequência de Robin: do que estamos falando?”. Desenvolvido pelas fonoaudiólogas Rosana Prado Oliveira e Jeniffer Dutka e pela pediatra Ilza Lazarini Marques, o manual conta com ilustrações de Tarcila Lima da Costa e diagramação e adaptação de figuras de Douglas Casoto e Lucas Aguiar.
A Sequência de Pierre Robin, diagnosticada em uma a cada 8.500 crianças nascidas vivas, é caracterizada pelo pequeno tamanho do queixo e pela posição retraída deste e também da língua. “Não é só uma questão de tamanho. É que estas partes são posicionadas para trás. Assim a língua obstrui a faringe, atrapalha a respiração e, por conseqüência, a alimentação”, explica a pediatra do Centrinho-USP, Ilza Lazarini Marques, chefe do Serviço Médico do Hospital e uma das pesquisadoras que lidera trabalhos nesta área com repercussões internacionais, desde a década de 90. No Centrinho-USP, além da pediatria, as pesquisas e o tratamento conta com a efetiva atuação de fonoaudiólogos, enfermeiros, nutricionistas, cirurgiões-plásticos, otorrinolaringologistas, cirurgiões-dentistas, psicólogos e assistentes sociais, além de equipes de apoio para a diagramação e o desenvolvimento de ferramentas multimídia e manuais de orientação para pais, professores e profissionais de outras instituições.

O manual
Com conteúdo adaptado para o público sem conhecimentos da área, como pais e cuidadores, o manual traz ilustrações com analogias que favorecem o entendimento de conceitos que são muito abstratos para pessoas leigas, como a micrognatia (queixo pequenininho) e a glossoptose (língua para trás), que juntas reduzem o espaço na garganta dificultando a passagem do ar e, consequentemente, acarretando complicações com a respiração e alimentação desses bebês.
O material é distribuído na rotina do Hospital e também está disponível em versão PDF neste Blog, visando disseminar informações básicas sobre a Sequência de Robin e os cuidados com esses bebês.
“São informações que fazem toda a diferença para quem nunca ouviu falar do assunto e acabou de receber o diagnóstico do filho, por exemplo”, relata a fonoaudióloga Rosana Prado. “Disponibilizando na internet, queremos que essas orientações cheguem para o maior número possível de pessoas”, conclui Rosana.


Mortalidade desses bebês caiu de 30% para 8% e hoje é zero
Segundo a pesquisadora Ilza Lazarini Marques, os bebês acometidos por essa doença têm dificuldades respiratórias de maior ou menor graus, não são capazes de mamar no peito e grande parte nasce com fissura no palato (céu da boca aberto).
Com mais de dez anos ininterruptos de experiência clínica associada ao desenvolvimento de pesquisas, a Sequência de Pierre Robin é tratada no Centrinho-USP como um problema de desenvolvimento e não apenas anatômico. “As pesquisas americanas tendem a focalizar a patologia como um problema obstrutivo mecânico, estudando principalmente os recursos cirúrgicos”.
No início das pesquisas do Centrinho, o tratamento para a Sequência de Pierre Robin era feito com uma cirurgia, que estendia a língua dos bebês e a prendia ao lábio inferior. A posição era mantida até o início do aparecimento dos dentes, que acontece aproximadamente aos oito meses de idade. “Este procedimento resolvia alguns casos, mas a mortalidade ainda era muito alta, cerca de 30%. Como tentávamos unir duas partes móveis, a sutura acabava se soltando”, explica Ilza Marques.
Em 1996, o Centrinho iniciou o uso da cânula nasofaríngea . “Um tubo de silicone é colocado dentro do nariz, chegando até a faringe, para melhorar a respiração. As crianças conseguem respirar e, por consequência, se alimentam quase normalmente”. Em seguida as mães começaram a ser treinadas para manusear a cânula, tarefa considerada simples. “O tubo é retirado apenas uma vez por dia, para ser lavado. Com a introdução da dieta, as crianças utilizam a cânula somente por um ou dois meses, já que a alimentação adequada acelera a melhora da respiração”.
O desenvolvimento das técnicas possibilitou que 70% das crianças diagnosticadas com a Sequência sejam tratadas sem nenhuma intervenção cirúrgica. Segundo Ilza Marques, a Sequência de Pierre Robin é acompanhada por outras síndromes em 45% dos casos, mas quando é diagnosticada sozinha, os bebês podem ter um desenvolvimento normal, inclusive esteticamente. Com os novos procedimentos, a mortalidade das crianças diminuiu de 30% para 8% e, hoje, pode-se afirmar que o índice de mortalidade é zero. “Os bebês não morrem mais”, comemora a médica.

_________
Fale com a fonoaudióloga da equipe do HRAC-USP, Rosana Prado, que é uma das autoras do manual: roprado@usp.br

Anúncios

Higiene das mãos é tema de palestra no Centrinho-USP

(Imagem: http://saude.abril.com.br)
Embora possa parecer uma atividade banal, o ato de lavar as mãos é capaz de evitar uma série de doenças e a transmissão de infecções. A regra é simples: antes e após refeições, antes e após usar o banheiro, ao chegar no trabalho e ao voltar para a casa e todas as vezes que tossir é preciso lavar as mãos. E lavar direito. Isso vale para todas as pessoas.

Num ambiente hospitalar, então, os cuidados devem ser redobrados. Só assim é possível evitar as temíveis infecções hospitalares. “O descuido é a principal porta de entrada para infecções”, afirma a enfermeira Márcia Regina Rodrigues Regina, da equipe do Centrinho-USP. A “higiene das mãos” será tema de palestra da enfermeira Márcia Regina, na próxima quinta-feira (26/4),   às 9h, no setor de Recreação do Hospital.

Entre as dicas, dez passos são destacados: água, sabonete, esfregar as palmas, o dorso, entre os dedos, os polegares, a ponta dos dedos. Na hora de enxugar, cuidado para não encostar na pia. E por último: secar bem as mãos. O evento faz referência ao Dia Mundial da Saúde, que foi comemorado em 07 de abril.  Podem participar pacientes e funcionários do Centrinho-USP.

Dicas sobre aquele cafezinho perfumado e a água nossa de cada dia

Quem lê os informes eletrônicos do Centrinho-USP tem acompanhado a coluna “Suely responde”, com dicas nutricionais. A partir de hoje essas dicas também serão publicadas aqui no Blog. Assim, você fica ciente de orientações super legais da nutricionista Suely Prieto, da equipe do Serviço de Nutrição e Dietética do Centrinho-USP. Começamos com duas perguntinhas, uma sobre consumo de água e outra de  café. Acompanhe:

Tema: Água
Explica pra gente, qual a quantidade ideal de água que devemos tomar por dia e quais os benefícios desse cuidado?

Suely responde:  Uma alimentação balanceada já nos oferece uma quantidade considerada de água. Mesmo assim, é importante que acrecentemos de1,5 a2 litros por dia para hidratação adequada do organismo; transporte de nutrientes; formação de hormônios e enzimas; reposição de perdas por suor, urina e fezes; prevenção de doenças como cálculo renal e infecção de urina e ainda proteção de nossas células contra o envelhecimento. Água é tudo de bom, forma mais de 70% do nosso organismo e, durante a atividade física, relaxa, energiza, massageia e facilita os exercícios. Só que não vale tomar estas águas saborizadas com gas…o negócio é tomar ÁGUA, ÁGUA e ÁGUA…simples, saúdável e barato.

Tema: Café
Afinal, quais são, de fato, os malefícios e benefícios daquele delicioso (e aromático) cafezinho?

Suely responde:  Rico em cafeína, o cafezinho tem como benefícios ser estimulante do sistema neural, tornando-nos mais alertas. A cafeína também dilata as pupilas e aumenta  acuidade visual; dilata os brônquis e nos disponibiliza mais oxigênio; faz o fígado liberar açúcares e gorduras no sangue; deixa as fibras musculares prontas para movimentos rápidos; aumenta a frequência cardíaca e a pressão arterial. Mas cuidado, essas alterações, em excesso, farão mais mal do que bem. E ainda, em excesso, a cafeína aumenta a produção de ácido clorídrico no estômago o que predispõe à má-digestão, refluxo esofágico, gastrites e úlceras. Mais que três cafezinhos por dia (150ml ) pode predispor à osteoporose e à artrite reumatóide, pois a cafeína prejudica o equilíbrio Cálcio-Fósforo do nosso organismo. Para terminar, o excesso de cafeína, pode agravar os sintomas de insônia, ataques de pânico e ansiedade. Resumindo: equilíbrio é a palavra-chave. Tome seu delicioso cafezinho com moderação.

Conheça os dez piores alimentos para a sua saúde

Pessoal, boa-tarde! A nossa querida nutricionista Suely Prieto, que tem nos dado dicas importantíssimas pelo projeto Cuidar da Gente, selecionou os dez alimentos mais prejudiciais para a nossa saúde. Essas dicas já foram postadas no Facebook, mas para organizar as ideias, fizemos a compilação e republicamos os dez piores alimentos:

1º LUGAR: O CAMPEÃO dos campeões em prejudicar nossa saúde é o RANCOR, a TRISTEZA e a AMARGURA…”alimentos” que muita gente coloca para dentro de sua alma e que afetam diretamente a saúde física, predispondo à depressão, ao câncer e ao prejuízo do sistema imunológico. Este é o pior dos piores.
Dica:
– pratique GENTILEZAS e SORRISOS.
– tenha uma atitude positiva com relação à vida
– não fale mal das pessoas. De ninguém!
– procure sempre opinar com palavras positivas e reconfortantes.
– fuja de pessoas reclamonas, negativas e “deprês”.
– não queira mal a ninguém e abençoe seu inimigo, reze por ele!
– viva o dia de hoje com a intensidade de quem está curtindo seu último dia aqui nesta vida.

……………..

2º LUGAR: ALIMENTOS REFINADOS.
Especificamente o açúcar refinado e a farinha de trigo refinada usada para confeccionar pães, bolos e massas. O “refino” da planta faz com que ela seja submetida a procedimentos industriais, dentre eles “ataques com ácidos” que, por sua vez, retiram toda fibra, minerais e vitaminas deixando só o carboidrato. Este “pó refinado” não estraga porque quase não tem nutrientes. Esses carboidratos são absorvidos rapidamente, injetando grande quantidade de glicose em nosso corpo e cérebro, eletrificando o organismo e acelerando o metabolismo. Moral da história: recebemos uma “enxurrada de prazer”. E quem não gosta de sentir prazer? O problema é que esse prazer vicia, vai embora rapidinho e deixa nosso cérebro a pedir mais e mais. RESULTADO: obesidade e diabetes.
Já temos 17 milhões de obesos no Brasil (300 milhões no mundo) candidatos fortes ao câncer, às doenças cardiovasculares, às osteoartrites, à apnéia do sono, às depressões, além do estigma social. E tudo começou com um pedaço de pão branco.
Dica: Que tal introduzir, aos poucos, os pães e massas integrais na sua alimentação? E, o que acham de excluir o açúcar refinado da sua vida? Experimente o mel, o açúcar mascavo em pequena quantidade ou o adoçante à base de estévia.

………………

3º. LUGAR: REFRIGERANTES DIET/ZERO.
Além de possuírem todos os problemas dos refrigerantes tradicionais, contêm ciclamato, sacarina ou aspartame em sua composição. A ciência comprova que o excesso de sacarina e ciclamato nos predispõe ao câncer. O aspartame, por sua vez, está relacionado a uma lista de doenças, como ataques de ansiedade e compulsão alimentar. E o açúcar pode provocar depressão, tonturas, fadiga, dores de cabeça e enxaquecas, palpitações cardíacas, hiperatividade, insônia, dor nas articulações, dificuldade de aprendizagem, cãibras musculares e problemas reprodutivos.
Dica: Cautela, muita cautela ao consumir esses ingredientes.

………………

4º. LUGAR: REFRIGERANTE. Uma lata de refrigerante possui em média 10 colheres de chá de açúcar, 150 calorias, entre 30 e 55mg de cafeína, além de estar repleta de corantes artificiais e sulfitos . Os sulfitos devem ser ingeridos com muita precaução por pessoas com doença alérgica ou com asma. Os corantes artificiais causam alergias, câncer e problema de atençãoem crianças. Então vamos lá: os refrigerantes engordam, nos fornecem nutrientes com mínima função nutricional (só calorias), podem sensibilizar para alergias, elevar o índice de hiperatividade e os transtornos de déficit de atenção em crianças e ainda causar câncer.
Dica: Com todos esses prejuízos, ingerir refrigerante para quê?

………………

5º LUGAR: CACHORRO-QUENTE.
O maior problema do cachorro-quente não está apenas na farinha branca do pão ou no excesso de maionese. O perigo maior está na salsicha, carne processada que, para ficar com aquela cor vermelha linda e durar bastante, tem acrescida em sua composição substâncias chamadas NITRITOS e NITRATOS, que são cancerígenas.
Dica: Queridos amigos, vamos reduzir não só a salsicha, mas também a mortadela, salame e os presuntos. Uma dica boa é que, se não conseguir resistir ao salaminho, basta regá-lo com suco de limão, que quebra a ação dos nitritos e nitratos. O mesmo para as demais carnes processadas: comê-las junto com suco de frutas cítricas (azedinhas).

………………..

6º. LUGAR: BACON.
Seu consumo exagerado aumenta em 42% o risco de doenças cardíacas e em 19% o de diabetes. Outro estudo (Universidade de Columbia) descobriu ainda que comer 14 porções de bacon por mês (cerca de 500 gramas) pode danificar a função pulmonar e aumentar o risco de doenças ligadas ao órgão.
Dica: Vamos diminuir?

………………

7º LUGAR: BATATAS FRITAS!
São fritas por imersão em óleo e em temperaturas muito altas. Este processo de fritura faz com que sejam liberados radicais livres que, dentro do nosso organismo, nos predispõe à instalação das doenças crônico degenerativas (problemas cardíacos, diabetes, artrite, hipertensão, etc.) e ao câncer. Além disso (que já não é pouco), quando usamos “batatas verdes” estamos ingerindo solaninas – anti-nutrientes que também nos predispõem ao câncer.
Dica: Deixem as batatas fritas de lado e também as batatas esverdeadas. No mais, este tubérculo é sensacional como fonte de energia, minerais (ferro, cálcio, potássio), vitaminas (A e C). Basta comê-la como purês, suflês, pão, nhoque, sauté e até assada.

……………..

8º LUGAR: PIZZA!
Sabe por quê? São feitas com farinha branca que, depois de absorvidas pelo organismo, transformam-se em açúcar puro, causando aumento de peso e dos triglicérides e desequilíbrio dos níveis de glicose no sangue. Para piorar ainda mais a situação, vêm cheinhas de queijos e, algumas vezes, de bacon e linguiça. Mais gordura visceral se formando… Mais chance de subir nosso colesterol e de termos doenças cardiovasculares e câncer.
Dica: Pizza só de vezem quando. Uma vez por mês está ótimo (mas só dois pedaços, hein!). Você também deve fugir dos rodízios.

……………..

9º LUGAR: SALGADINHOS.
Tanto os tipos “chips” como os fritos (coxinha, kibe, etc.). Os primeiros por terem muito sódio e elevarem o índice glicêmico, os últimos pelo excesso de gordura.
Dica: reduzir, reduzir, reduzir!

…………………

10º. LUGAR: SORVETE.
Alimento com altos níveis de açúcar e gorduras trans, além de corantes e saborizantes artificiais, muitos dos quais possuem neurotoxinas – substâncias químicas que podem causar danos no cérebro e no sistema nervoso.
Dica: Troque o sorvete por frutas.

Iniciativa visa prevenção de doenças transmitidas por animais domésticos

Nesta semana, o Serviço Administrativo do Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais (HRAC/Centrinho) da USP iniciou uma campanha interna para a prevenção de doenças transmitidas por animais domésticos, como cães e gatos.

O motivo é a presença de alguns desses animais nas proximidades do Hospital. O pêlo, a saliva, as patas, as fezes e a urina de gatos e cachorros abrigam diversos microorganismos capazes de provocar doenças como raiva, sarna, micoses, bronquite asmática, rinite alérgica, leptospirose e toxoplasmose, entre outras.

Confira abaixo algumas orientações para evitar a transmissão dessas doenças no ambiente hospitalar:
– não fornecer alimento para os animais nas proximidades do Hospital;
– ao encontrar um cão ou gato próximo à instituição, comunicar a Segurança do Trabalho (ramal 8061) ou a Seção de Serviços Gerais (ramal 8195);
– capturado, o animal é encaminhado ao Centro de Controle de Zoonoses do município. Após avaliação clínica para análise das condições de saúde, ele fica abrigado no Centro e é disponibilizado para adoção;
– para os interessados na adoção, o Centro de Zoonoses de Bauru fica na Rua Henrique Hunzicker, s/n, Jardim Bom Samaritano. Telefone: 3103-8059. O horário de atendimento é das 8h às 17h.

Alho: sabor, aroma e muita saúde na sua culinária

 O alho é um dos mais versáteis sabores da culinária. Muito utilizado na cozinha brasileira e indispensável na cozinha provençal, o alho seduz não só pelo sabor e aroma, como pelo seu poder na cura de alguns males que afetam a nossa saúde.
E as propriedades funcionais do alho foram tema de reportagem do Jornal Hoje (Rede Globo) do dia 14/9. De fato, o alho contém zinco e selênio, antioxidantes que diminuem os riscos de doenças cardíacas e duas propriedades antiinflamatórias: aliina e alicina. A alicina tem propriedades antibióticas, para infecções. O alho também tem propriedade antioxidante e ajuda a combater os radicais que causam doenças graves como diabetes e hipertensão. Já que as propriedades do alho são reconhecidamente boas para a saúde, vamos a duas receitas de alho em conserva e frito para que possamos cuidar da gente

Alho em conserva
Asse a cabeça de alho inteira, em forno moderado, até começar a murchar. Espere esfriar e descasque. Coloque em uma vasilha e cubra com a mistura de azeite e vinagre (para cada colher de sopa de azeite, uma colher de sobremesa de vinagre, de qualquer um menos de álcool ou balsâmico). Depois, tempere com azeite, sal, pimenta do reino e orégano a gosto. Ao ser assado ele perde a ardência, tornando-se adocicado.

Alho frito
O alho laminado ou repicado deverá ser frito imerso em óleo ou azeite até dourar levemente, sem deixar escurecer. Escorra em papel toalha. Este tipo de alho pode ser usado em diversas preparações, desde entradas frias até acrescentado ao arroz, brócolis ou carne grelhada.
Dicas e truques:
– mastigar salsa ou qualquer espécie verde que contenha muita clorofila para manter o hálito fresco;
– os árabes usavam mastigar grãos de coentro como recurso contra o hálito forte do alho;

– beber um copo de leite ou de vinho também dá bons resultados;
– esfregar bem as mãos com sal e limão e lavá-las em água fria, tira o cheiro forte das mãos de quem está cozinhando.

(Fonte:  http://www.unirio.br/gastronomiavancada/alho/seminariodealho.htm)

Saiba como preparar antepasto de abobrinha

Para quem esteve no lançamento do projeto Cuidar da Gente, no dia 05/09, e ficou se perguntando que abobrinha deliciosa era aquela… Selecionamos e publicamos no nosso perfil no Facebook (https://www.facebook.com/centrinhousp) e, agora, atendendo a pedidos, divulgamos também por aqui uma receita que não é a original servida no evento do Centrinho-USP, mas parece ficar muito boa. Confira:

Antepasto de Abobrinha

Ingredientes:
1 kg de abobrinha italiana
1 copo de aceto balsâmico
1 colher de chá de pimenta calabresa
1 colher de sobremesa de orégano
Sal a gosto
3 dentes de alho amassados
1 copo de azeite extra virgem

Modo de Preparo:
Fatie a abobrinha em tiras finas sem descascar. Leve ao fogo e acrescente o aceto balsâmico e o sal. Deixe até que a abobrinha fique bem macia. Misture separadamente o azeite, o orégano, o alho e a pimenta. Monte, intercalando camadas de abobrinha e do molho de azeite. Deixe esfriar e, depois, leve à geladeira de um dia para o outro. Sirva com torradas.

A abobrinha italiana (mais consumida no Brasil)  possui formato alongado e cor listrada (verde escuro e claro). Apresenta nutrientes como a niacina e vitaminas do complexo B. É um alimento que apresenta poucas calorias e é de fácil digestão, o que facilita o trabalho do aparelho digestório. A época de cultura da abobrinha italiana ocorre de julho a dezembro.

%d blogueiros gostam disto: