• Blog do HRAC Centrinho-USP

    Este é o Blog oficial do Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais (HRAC/Centrinho) da Universidade de São Paulo (USP), mantido pela Assessoria de Imprensa da instituição.
  • Na mídia‬:

  • TV TEM: Reportagem especial mostra principais pontos de Bauru

    HRAC/Centrinho-USP é destaque em matéria especial dos 120 anos de Bauru. Principais pontos da cidade foram escolhidos pelos telespectadores.

  • HRAC/Centrinho na série ‘Joias do Interior’, da TV TEM

    Neste novo vídeo, quem conta sua história e fala sobre o tratamento é a jovem Gabriela Viana e sua mãe, Claudinéia, de Bauru. Clique na imagem e confira!

  • Dia a dia do Hospital (Jogo de Cintura, TV TEM, 04/10/14)

    O dia a dia do Centrinho-USP. Histórias de gente que é exemplo de superação, dedicação e alegria!

  • Primeiros sons (Fantástico, TV Globo, 07/09/14)

    Crianças escutam pela 1ª vez e têm reações emocionantes

  • Sistema FM (TEM Notícias, TV TEM)

    Teste

    Centrinho usa sistema FM para facilitar aprendizado de crianças com problemas auditivos. Reportagem: Evandro Cini

  • Implante Coclear (Encontro com Fátima Bernardes, TV Globo, 11/11/14)

    Encontro com Fátima Bernardes mostra tecnologias que auxiliam a vida de pessoas com deficiência, como a do pequeno Enzo, usuário de implante coclear

  • Fissura labiopalatina (Bem Estar, TV Globo, 24/06/13)

    Programa Bem Estar, da TV Globo, exibe matéria sobre tratamento da fissura labiopalatina. Reportagem: Giuliano Tamura

  • Fissura labiopalatina (Hoje em Dia, Rede Record)

    Quadro "Você e o doutor", do Programa Hoje em Dia, da Rede Record, destaca cuidados com bebês com fissura labiopalatina

  • Fissura labiopalatina (Hoje em Dia, Rede Record, 16/11/11)

    Record faz reportagem especial sobre fissura labiopalatina. Confira!

  • Centrinho tatuado (Jornal da Cidade, Bauru, 13/04/12)

    A história de Gabriela Oliveira da Silva, 22 anos, gaúcha, moradora de Pelotas, não é só de recuperação de saúde, vida social e gratidão, mas também de homenagem ao tratamento que recebeu nos últimos 20 anos no Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais da USP (HRAC/USP) de Bauru, conhecido como Centrinho.

  • Estadão

    Hospitais paulistas que atendem pacientes de todo o país foram destaque em reportagem do jornal O Estado de S. Paulo. Clique na imagem acima e confira a matéria na íntegra, que também aborda o trabalho do Centrinho-USP.

  • Imprensa destaca 20 anos do implante coclear no Brasil

    Dia 14/5/2010, reportagem foi destaque no programa Direto da Redação, veiculado nacionalmente pela Record News

  • “Nosso Mural” informativo de comunicação interna

    Essa é uma publicação semanal do Centrinho-USP, parte das estratégias de comunicação interna do Hospital.
  • A instituição

    Hospital localizado em Bauru (SP), Brasil, que oferece tratamento integral nas áreas de anomalias craniofaciais, síndromes associadas e deficiências auditivas via Sistema Único de Saúde (SUS).

  • Instituições parceiras

Mestrandas da Suécia realizam intercâmbio no Centrinho

foto-1

A partir da esquerda: professora Ana Paula Fukushiro (FOB/HRAC), Katarina, professora Inge, Roxanne e a fonoaudióloga Renata Yamashita (HRAC), que já realizou capacitação no Karolinska. Foto: Márcio Antonio da Silva

As estudantes são do Karolinska Institutet, uma das principais universidades
da área médica do mundo, responsável pela indicação do
Nobel de Medicina

 

O Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais (HRAC/Centrinho) da USP recebeu, nos meses de novembro e dezembro, duas alunas de mestrado em Fonoaudiologia do Karolinska Institutet, de Estocolmo, na Suécia.

Katarina Karlin e Roxanne S. Harris realizaram intercâmbio de cinco semanas no HRAC-USP, por meio de convênio de cooperação acadêmica internacional firmado neste ano de 2016 pelas duas instituições.

As estudantes da Suécia atuaram no Laboratório de Fisiologia do Hospital, onde receberam capacitação em métodos instrumentais de avaliação da fala, da respiração e do sono. Também participaram de duas disciplinas internacionais do Programa de Pós-Graduação do HRAC-USP, ministradas em língua inglesa, com carga horária de 45 horas cada. Além disso, realizaram observação supervisionada em áreas de interesse como fonoaudiologia, odontologia e implante coclear.

De acordo com a coordenadora do convênio, Inge Elly Kiemle Trindade, professora titular da Faculdade de Odontologia de Bauru (FOB) e da Pós-Graduação do HRAC, o Karolinska Institutet tem um grupo de docentes que atua na reabilitação das fissuras labiopalatinas, mas não oferece um treinamento e uma experiência similar sobre os protocolos, formas e etapas do tratamento, com uma visão global das diferentes áreas profissionais. “Para eles é um conhecimento enriquecedor”, afirma.

A parceria entre o Hospital e o instituto prevê o intercâmbio de estudantes de pós-graduação, docentes, pesquisadores e membros da equipe técnico-administrativa das duas instituições, para participação em atividades de ensino e pesquisa. Os campos de estudo estabelecidos são patologia da fala e linguagem, e fisiologia e patologia da fala aplicadas às fissuras orofaciais e anomalias relacionadas. Segundo a professora Inge, já está prevista para 2017 a ida de um aluno do Programa de Pós-Graduação do HRAC-USP para o instituto sueco.

Prestígio internacional
O Karolinska Institutet está entre as principais universidades da área médica do mundo e é a maior instituição acadêmica de pesquisa médica da Suécia. É uma comissão do Karolinska Institutet que indica os laureados com o Prêmio Nobel de Fisiologia ou Medicina, sendo que cinco pesquisadores do instituto já ganharam o Nobel nessa categoria. A instituição ficou em 28º lugar no World University Rankings 2016-2017, realizado pela consultoria britânica de educação superior Times Higher Education (THE).

“O Instituto Karolinska é reconhecidamente um centro de pesquisa de ponta, seja na área médica ou em outras áreas do conhecimento. É um local procurado por alunos do mundo inteiro para intercâmbio. Para nós, do Centrinho-USP, essa parceria representa uma grande honra, dado o prestígio do instituto na comunidade científica internacional. É um reconhecimento do trabalho que o Hospital vem desenvolvendo”, conclui a professora Inge.

Centrinho-USP: Projeto TOPS reúne pesquisadores internacionais em Bauru

reuniao_tops-1Bauru sedia nesta semana, de 3 a 7 de outubro, reunião internacional do Projeto TOPS (Timing of Primary Surgery for Cleft Palate, ou: Cronologia da Cirurgia Primária da Fissura de Palato, em português), um estudo clínico randomizado desenvolvido por 22 centros especializados do Reino Unido, Escandinávia e Brasil – representado pelo Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais (HRAC/Centrinho) da USP. A pesquisa multicêntrica investiga qual a melhor idade para cirurgia primária de palato (6 ou 12 meses) e o impacto no desenvolvimento da fala, audição e crescimento facial.

A professora Inge Elly Kiemle Trindade, coordenadora do Projeto pela USP, explica que a reunião é a segunda etapa das avaliações de amostras de fala de pacientes aos 12 meses (a primeira aconteceu no mês de março, em Manchester, na Inglaterra). “Trata-se de um método translinguístico de avaliação, em que as amostras de fala têm sons equivalentes e podem ser avaliadas por pesquisadores das diferentes línguas envolvidas no projeto”. A metodologia propicia reprodutibilidade e maior confiabilidade do julgamento perceptivo entre diferentes avaliadores.

Participam do encontro em Bauru o coordenador geral do Projeto TOPS, professor William Shaw, da University of Manchester (Inglaterra) e do Centro Colaborativo para Pesquisas em Anomalias Craniofaciais da Organização Mundial da Saúde (OMS); a coordenadora do TOPS no Brasil, professora Inge Trindade; as coordenadoras na área de fonoaudiologia, professora Christina Persson, da University of Gothenburg (Suécia), e professora Elisabeth Willadsen, da University of Copenhagen (Dinamarca); e as fonoaudiólogas do Projeto pelo HRAC: professora Ana Paula Fukushiro, Cristina Guedes de Azevedo Bento Gonçalves, Haline Coracine Miguel, Renata Paciello Yamashita e Sílvia Helena Alvarez Piazentin Penna.

reuniao_tops-2Durante a semana, também acontecem reuniões com os membros das demais áreas do HRAC que integram o TOPS (cirurgia plástica, otorrinolaringologia, odontologia, serviço social e equipe de apoio administrativo), além de planejamento para os próximos cinco anos pelos coordenadores do Projeto.

A pesquisa também vai avaliar as crianças aos três e cinco anos de idade, quanto ao progresso da fala e da audição e quanto ao desenvolvimento físico (crescimento craniofacial). De acordo com a professora Inge Trindade, os 155 pacientes do HRAC que participam do estudo já foram operados, conforme planejado. “Neste momento, estamos finalizando as avaliações aos 12 meses, já temos parte das avaliações de crianças aos três anos e uma de criança aos cinco anos”, relata. Com convênio renovado neste ano com a University of Manchester, o TOPS tem financiamento do National Institutes of Health (NIH), dos Estados Unidos.

Fotos: Álvaro Campoy Neto e Márcio Antonio da Silva, SerCom HRAC-USP

internacionalização: Projeto de fonoaudióloga do Centrinho é contemplado em programa para intercâmbio no exterior

Um projeto que visa aperfeiçoar os conhecimentos na área de avaliação perceptivo-auditiva da fala de pessoas nascidas com fissura labiopalatina, de autoria da fonoaudióloga Renata Paciello Yamashita (foto), foi contemplado no Programa de Incentivo e Apoio à Capacitação dos Servidores Técnicos e Administrativos da USP no exterior. O projeto da fonoaudióloga – que atua no Laboratório de Fisiologia do Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais (HRAC/Centrinho) da Universidade de São Paulo (USP) – ficou entre os dez selecionados de toda a Universidade. O resultado foi divulgado recentemente, no Diário Oficial do Estado.

Renata desenvolverá seu projeto em Estocolmo (Suécia), no Instituto Karolinska, vinculado ao hospital universitário da Universidade Karolinska, um dos maiores centros de treinamento e pesquisa do país. A profissional será recebida pela professora Anette Lohmander, responsável pela Divisão de Fonoaudiologia do instituto e uma das principais especialistas no estudo da fala de indivíduos com fissura labiopalatina no mundo. Renata permanecerá na Suécia por três meses, com período previsto de 1º de setembro a 30 de novembro de 2014.

Para Renata, esta é uma oportunidade única e imperdível para os técnicos de nível superior da Universidade que, assim como os docentes, desenvolvem pesquisa. “Esta excelente iniciativa vai propiciar o aprimoramento de habilidades e a busca de novos conhecimentos para aplicação tanto em pesquisa como na prática clínica do nosso serviço”, afirma a fonoaudióloga, que, temporariamente, deixará marido, dois filhos e os pais em Bauru.

Curiosidade
De acordo com a fonoaudióloga Renata Paciello Yamashita, a relação com a professora Anette Lohmander, do Instituto Karolinska, data de 2006, no início do Projeto TOPS (Timing of Primary Surgery for Cleft Palate), estudo multicêntrico internacional desenvolvido numa parceria entre 23 centros craniofaciais do Reino Unido, Escandinávia e Brasil – representado pelo Centrinho-USP – que investiga a melhor idade para cirurgia primária de palato (aos 6 ou aos 12 meses). A professora Anette é uma das coordenadoras do TOPS na área de fonoaudiologia.

Padronização e aprimoramento da avaliação
Segundo Renata, a avaliação perceptivo-auditiva da fala é o principal método utilizado para identificar os problemas de fala de indivíduos com fissura labiopalatina, sendo indispensável para o diagnóstico e a definição do tratamento. Apesar disso, a fonoaudióloga explica que mensurar os problemas da fala por meio da avaliação perceptivo-auditiva é um processo desafiador.

“O caráter subjetivo desse método leva, por vezes, a variações e erros até mesmo entre ouvintes treinados nesse tipo de avaliação”, avalia. “Além disso, por ser um julgamento perceptivo, pode ser influenciado por fatores como o padrão articulatório do paciente, a tonalidade e intensidade da voz e o contexto fonético”.

O projeto que Renata vai desenvolver na Suécia visa auxiliar no estabelecimento de um protocolo de avaliação perceptivo-auditiva da fala, com a utilização de critérios e parâmetros internacionais, para ser empregado na rotina de avaliação da fala de indivíduos com fissura palatina. “O objetivo é que, além de contemplar os aspectos mais importantes da fala, esse protocolo possibilite também a reprodutibilidade e a confiabilidade do julgamento perceptivo entre diferentes avaliadores”, ressalta a fonoaudióloga.

O programa
O Programa de Incentivo e Apoio à Capacitação dos Servidores Técnicos e Administrativos da USP no exterior visa proporcionar aos servidores técnico-administrativos da Universidade a oportunidade de desenvolver suas competências profissionais por meio de intercâmbio internacional, mediante a apresentação de um projeto individual relacionado à sua área de atuação.

Os servidores contemplados receberão passagem aérea de ida e volta, seguro-saúde, de duas a seis mensalidades (conforme o período de permanência no exterior) e um auxílio para despesas de instalação e despesas pessoais.

– Lista de contemplados (em ordem alfabética):
1. Carlos Arterio Sorgi (Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto)
2. Dalva Aparecida Paes da Silva (Instituto de Psicologia)
3. Deisemara Nascimento Silva Di Tota (Vice-Reitoria Executiva de Relações Internacionais)
4. Fernando Augusto Saraiva (Instituto de Geociências)
5. Marcia de Azevedo (Superintendência de Assistência Social)
6. Renata Monte (Escola Politécnica)
7. Renata Paciello Yamashita (Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais)
8. Silvia Miguel (Superintendência de Comunicação Social)
9. Silvia Regina Menezes Pedro (Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto)
10. Vivian Pamella Viviani de Castro (Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas)

– Lista de classificados em lista de espera do Programa, caso haja alguma desistência:
1º. André Luís dos Santos Romero (Instituto de Física de São Carlos)
2º. Juliana Maria Costa (Pró-Reitoria de Cultura e Extensão Universitária)
3º. Sandro Dalla Costa (Escola de Comunicação e Artes)
4º. Hamilton de Castro Teixeira Silva (Procuradoria Geral da USP)
5º. Tatiana Reschke (Faculdade de Educação)

Com informações da Sala de Imprensa da USP.

internacionalização: Hospital Centrinho-USP recebe visita de alunos de ortodontia venezuelanos

Professor Flávio (Instituto Vellini), Dr. Reinaldo Mazzottini (Centrinho-USP) e parte dos 25 especializandos da Venezuela. Foto: Tiago Rodella, SerCom

Professor Flávio (Instituto Vellini), Dr. Reinaldo Mazzottini (Centrinho-USP) e parte dos 25 especializandos da Venezuela. Foto: Tiago Rodella, SerCom

O Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais (HRAC/Centrinho) da USP recebeu, no dia 15/10, a visita de 25 alunos de Especialização em Ortodontia do Instituto Vellini, todos venezuelanos. O curso é na modalidade sanduíche, ministrado parte no Brasil e parte na Venezuela.

Os especializandos conheceram as instalações do Hospital e participaram da disciplina em inglês do Programa de Pós-Graduação, “Multidisciplinary Rehabilitation of Orofacial Clefts”, que foi ministrada pelo chefe da Seção de Cirurgia Bucomaxilofacial do Centrinho-USP, Reinaldo Mazzottini.

De acordo com o coordenador do instituto, o professor Flávio Vellini Ferreira, o objetivo foi propiciar a oportunidade para que os alunos conhecessem um centro de referência na área odontológica, como é o Centrinho-USP, e também um pouco mais sobre o tratamento das anomalias craniofaciais. A visita foi viabilizada com o apoio da Comissão de Relações Internacionais (CRInt) do Hospital.

internacionalização: Hospital Centrinho-USP recebe 13 alunos da Escócia para intercâmbio

Daniela Garib, coordenadora da Pós-Graduação, e Gisele Dalben, da Comissão de Relações Internacionais, ministram aula aos participantes.

Daniela Garib, coordenadora da Pós-Graduação, e Gisele Dalben, da Comissão de Relações Internacionais, ministram aula aos participantes.

Pelo terceiro ano consecutivo, o Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais (HRAC/Centrinho) da Universidade de São Paulo (USP) recebeu estudantes do último ano de graduação em Odontologia da University of Dundee, da Escócia, para a realização de intercâmbio acadêmico. Dessa vez, foram 13 alunos participantes. Nos anos anteriores, eram de 3 a 5 por turma.

Os graduandos tiveram a oportunidade de conhecer de perto o trabalho desenvolvido pela Divisão de Odontologia e pela equipe multidisciplinar do Centrinho-USP no tratamento das anomalias craniofaciais – especialmente as fissuras labiopalatinas – e síndromes relacionadas. Durante duas semanas, no fim do último mês de junho, eles participaram de aulas e de observação supervisionada, tanto clínica quanto cirúrgica.

O intercâmbio integra a grade de atividades extracurriculares que os alunos da universidade escocesa podem desenvolver em centros de outros países. A parceria com o Centrinho-USP iniciou em 2011, após participação do pesquisador Peter Mossey em evento científico promovido pelo Hospital. Mossey é professor de Desenvolvimento Craniofacial da University of Dundee e diretor do Centro Colaborativo da Organização Mundial da Saúde-OMS.

“Iniciativas como essa, além de possibilitar a troca de conhecimentos entre os estudantes das instituições envolvidas, fortalecem o processo de internacionalização da Universidade, que tem sido intensificado nos últimos anos”, aponta Gisele da Silva Dalben, odontopediatra do Centrinho-USP e membro da Comissão de Relações Internacionais da instituição.

Para Jonathan Ogle, 22, esta foi uma excelente oportunidade para aprender e observar procedimentos que dificilmente verá em seu país. “Há uma variedade muito grande de cirurgias realizadas aqui. Conhecer a odontologia de ponta desenvolvida e aplicada em outro país, num centro de referência internacional como é o Centrinho, foi uma experiência muito boa”, afirma.

Já o aluno Donald Leggat, 22, destaca a estrutura e a logística de atendimento do Hospital, além da atenção com o aspecto global da reabilitação dos pacientes. “Fiquei impressionado com as várias especialidades envolvidas no tratamento e que trabalham integradas, num mesmo local”. “O envolvimento e o cuidado dos especialistas e demais membros da equipe com o desenvolvimento de cada um dos casos também chama a atenção”, completa.

internacionalização: Mestrandas norte-americanas fazem intercâmbio no Centrinho-USP

Da esq. p/ a dir., Christina Tran (da UNI), Carolina Thur de Koos (da ETSU), Dra. Inge Trindade, coordenadora do projeto internacional Capes/Fipse na USP, e Joanna Eggert (da UNI)

Christina Tran (UNI), Carolina Thur de Koos (ETSU), Dra. Inge Trindade, coordenadora do projeto internacional Capes/Fipse na USP, e Joanna Eggert (UNI). Foto: Arquivo SerCom

O Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais (HRAC/Centrinho) da Universidade de São Paulo (USP) está recebendo mais três alunas de pós-graduação norte-americanas para intercâmbio científico: Carolina Thur de Koos, da East Tennessee State University (ETSU), e Christina Tran e Joanna Eggert, da University of Northern Iowa (UNI).

Até o final de junho, as mestrandas em Fonoaudiologia vão participar de estágio de observação supervisionado com a equipe multiprofissional do Hospital, de atividades de pesquisa conjunta e de disciplinas do Programa de Pós-Graduação da instituição. Esta é a segunda turma de pós-graduandos das duas universidades norte-americanas que o Centrinho-USP recebe. A primeira esteve no Hospital entre maio e junho de 2012.

Com duração de seis semanas, o intercâmbio acontece por meio do Consórcio Capes/Fipse, programa de consórcios em educação superior entre Brasil e Estados Unidos para modernização curricular, mobilidade acadêmica e desenvolvimento de projetos de pesquisa.

Realizado numa parceria entre a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e o fundo norte-americano para o ensino universitário (Fipse – Fund for the Improvement of Post Secondary Education), a iniciativa reúne duas universidades brasileiras (USP, representada pelo Centrinho e pela Faculdade de Odontologia de Bauru-FOB, e Universidade Federal de Santa Maria) e duas norte-americanas (ETSU e UNI).

O estudo desenvolvido em conjunto por essas instituições visa comparar as desordens da fala em pessoas com fissura labiopalatina falantes do português e do inglês, para definir, por exemplo, as diferenças de nasalidade existentes entre as duas línguas.

Para a coordenadora do projeto internacional Capes/Fipse na USP, Inge Elly Kiemle Trindade (docente do Programa de Pós-Graduação do Centrinho-USP e professora titular da FOB-USP), esse tipo de iniciativa contribui com a troca de conhecimento entre as instituições envolvidas e com o desenvolvimento acadêmico dos alunos participantes. “Além disso, a intensificação das atividades de cooperação científica internacional e de mobilidade acadêmica também é fortalece o processo de internacionalização preconizado pela USP”, finaliza.

internacionalização: Visita à Flórida visa estabelecimento de novo convênio de cooperação

foto: arquivo pessoal, Jeniffer Dutka

foto: arquivo pessoal, Jeniffer Dutka

Uma equipe formada por fonoaudiólogas do Centrinho-USP e por alunas e docentes do Programa de Pós-Graduação do Hospital e da Faculdade de Odontologia de Bauru (FOB) participou, no fim de abril, de uma semana de atividades de integração entre professores e estudantes da USP-Bauru e da University of Central Florida (UCF), em Orlando, nos Estados Unidos. A iniciativa visa estabelecer um convênio de intercâmbio entre as duas universidades, envolvendo colaboração em atividades de ensino, pesquisa e extensão.

%d blogueiros gostam disto: